Um Mercury para as pistas

Mercury Marauder 1963

Quando se fala na Mercury, sempre vem a cabeça algum sedan grande e confortável ou algum Ford com mais madeira no painel sendo dirigido por um idoso, mas essa divisão de luxo da Ford Motor Company já fez esportivos campeões em pistas de asfalto e fora dele.

O Grand Marquis é um bom exemplo de um Mercury tradicional

Essa veia esportiva da Mercury nasceu de uma desvantagem que os carros da marca adquiriram na NASCAR em 1963, nesse ano ela adotou nos seus full-size um estilo chamado “breezeway”, que era o nome dado pelos marketeiros para a vigia traseira vertical que podia ser abaixada eletricamente, permitindo que o ar circule pela cabine sem precisar abaixar as janelas laterais. Para o uso cotidiano de um cidadão norte americano isso era muito bom, mas nos ovais da NASCAR era uma grande desvantagem, o estilo Breezeway prejudicava a aerodinâmica.

Estilo Breezeway

Para reverter isso a Mercury fez um coupé fastback chamado Marauder, que usava o teto com caída suave do Ford Galaxie 500XL, além do estilo diferenciado, o Marauder vinha com bancos dianteiros individuais separados por um console, cambio no assoalho e acabamento exclusivo. O chassi foi reforçado, a suspensão dianteira recebeu molas mais firmes e barra estabilizadora mais grossa, a suspensão traseira usava o mesmo feixe de molas dos outros Mercurys e amortecedores mais firmes, os pneus eram Firestone 500 Patrol de 15 polegadas. Como era um carro de alta performance, o Marauder só podia ser comprado com motores big block, um 390 (6,4 litros) com carburação dupla de 253 cv, um 390 com carburação quádrupla de 304 cv, um 427 (7 litros) com carburação quádrupla de 415 cv ou um monstruoso 427 Super Marauder com dois carburadores quadrijet, taxa de compressão de 11,5:1 e 430 cv. Os 390 podia vir com cambio manual de 3 ou 4 marchas ou automático, já os 427 só podiam vir com cambio manual de 4 marchas, o 427 Super Marauder fazia esse coupé de 1890 kg chegar a 100 km/h em 5,8 segundos e passar de 240 km/h.

Mercury Marauder 1963

Interior do Marauder 63

Carros esportivos nem sempre precisam ser espartanos

Motor 427 Super Marauder

O 427 Super Marauder era praticamente um motor de corrida, só rodava com gasolina premium

O estilo aerodinâmico e a força do motor 427 fizeram o Marauder ganhar várias corridas na NASCAR e na USAC em 63, nesse ano Parnelli Jones bateu o recorde de velocidade na Stock Car e foi campeão da subida de montanha de Pikes Peak, que na época não era asfaltada e não tinha guard rails, amos feitos foram conseguidos usando um Marauder de corrida feito pelo lendário construtor de carros de corrida Bill Stroppe.

Marauder na NASCAR

Why Mercury? Because race car

Parnelli Jones com o troféu de campeão de Pikes Peak

Na linha 64 o Marauder deixou de ser um modelo e passou a ser um estilo de carroceria para toda a linha de sedans e coupés full-size da Mercury ao lado do Breezeway, os Monterey, Montclair e Park Lane Marauder eram os únicos carros da Marca que podiam vir com motor 427 e eram sempre hardtop. Ele continuou ganhando corridas em 1964, só Parnelli Jones ganhou sete corridas na USAC. O ano seguinte o nome Marauder e Breezeway saíram da linha Mercury.

Mercury Park Lane Marauder 1964

Um sedan familiar com motor 427 e cambio manual? Por que não?

O nome Marauder voltou em 1969 num coupé de luxo derivado do Marquis, mas dessa vez não tinha o pedigree de corrida, era apenas um grande muscle car com motor 390 (6,4 litros) de 284 cv ou 429 (7 litros) 365 cv e sempre com a caixa automática C6 de 3 marchas. O Marauder 69 tinha dois modelos, o básico e o X-100, o primeiro era mais voltado para o luxo, com banco dianteiro inteiriço, alavanca de cambio na coluna de direção e calotas raiadas cromadas, já o X-100 tinha uma proposta mais esportiva e vinha com moldura do vidro traseiro e tampa do porta-malas pintados em preto fosco, rodas esportivas Kelsey-Hayes, bancos dianteiros individuais, alavanca de cambio no console com formato de manche de avião, volante esportivo e motor 429 de série. Essa segunda geração do Marauder teve produção limitada, apenas 15 mil unidades foram fabricadas em 1969 e menos de 5 mil unidades foram feitas em 1970.

Mercury Marauder X-100 1969

O Marauder 1969 era um muscle car para gentlemans

Nos anos 70 começou uma época difícil para os esportivos americanos, o preço da gasolina não parava de subir e as leis de emissões e consumo de combustível ficavam cada vez mais rigorosas, os carros da Mercury passaram a ficar cada vez mais próximos dos Ford. No SEMA Show de 1998 a marca apresentou uma versão esportiva do Grand Marquis como conceito, era um grande sedan com quase todos os frisos cromados removidos, pintura preta, rodas cromadas de 18 polegadas e motor V8 4.6 equipado com compressor mecânico e 339 cv, o nome não podia ser outro: Marauder. 4 anos depois, no Chicago Auto Show 2002 a Mercury apresentou mais uma versão conceitual do Marauder, dessa vez era um conversível, também derivado do Grand Marquis e equipado com o mesmo V8 4.6 sobre alimentado, ainda no salão de Chicago foi anunciada a versão de produção do novo Marauder, que chegaria no final do ano como modelo 2003.

Mercury Marauder Concept no SEMA Show de 1998

Mercury Marauder Concept conversível

O Marauder 2003 era um sedan e estreava junto do novo chassi da plataforma Phanter, que foi a última plataforma de carros de passeio no mundo a ter o chassi separado da carroceria, a nova suspensão usava braços de alumínio na dianteira, molas do Crown Victoria Police Interceptor e amortecedores Tokico, na traseira usava eixo rígido com Watts Link e molas a ar do Lincoln Town Car, no lugar do V8 com supercharger dos conceitos, o Marauder de produção veio com um V8 4.6 de alumínio com comando duplo no cabeçote e 32 válvulas, esse motor produzia 306 cv e 44 kgf·m e a única opção de transmissão era automática de 4 marchas. Segundo testes feitos por revistas especializadas a estabilidade era surpreendente para um carro desse porte, a carroceria rola pouco e a nova direção do tipo pinhão e cremalheira era muito direta, as maiores criticas foram para o cambio, que tinha reações lentas e subia as marchas cedo demais.

Mercury Marauder 2003

Poucos cromados, rodas de 18 polegadas, faróis de neblina Cibié, faróis com mascara negra…

Imagem

… ponteiras de escape cromadas de 3,5 polegadas, lanternas de Crown Victoria e pára-choques traseiro com o nome do carro em baixo relevo diferenciam visualmente o Marauder do Grand Marquis. O spoiler era um acessório instalado nas concessionárias.

7838 Marauders foram vendidos em 2003, em 2004 as únicas mudanças foram a substituição da transmissão 4R70W pela 4R75W e a opção de pintura vermelho escuro no lugar do prata, nesse ano foram vendidos apenas 3214 unidades e a produção do Marauder foi encerrada, haviam planos de adotar o motor V8 sobrealimentado dos conceitos e o conversível na linha 2005, mas o corte de custos falou mais alto e o último grande Mercury esportivo foi aposentado. Depois que o Marauder saiu de linha, a Mercury só fez clones de Fords com pequenas mudanças na dianteira, na traseira e no interior, a marca ficou praticamente abandonada até ser morta pelo CEO Alan Mulally em 2010.

Imagem

Anuncio do Marauder 1963

Imagem

Anuncio do Marauder 1963

ImagemAnuncio mostrando as vitórias do Marauder em 1963
Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder pilotado por Parnelli Jones em Pikes Peak

Imagem

Marauder 1963

Imagem

Marauder 1964

Imagem

Mercury Park Lane Marauder 1964

Imagem

Mercury Park Lane Marauder 1964

Imagem

Mercury Marauder 1964

Imagem

Marauder 1964

Imagem

Mercury Marauder 1969

Imagem

Mercury Marauder 1969

Imagem

Mercury Marauder 1969

Imagem

Marauder 2003

Imagem

Anuncio do Marauder 2003

Imagem

Anuncio do Marauder 2003

Imagem

Anuncio do Marauder 2003

Imagem

Marauder 2003

Imagem

Marauder 2003

Imagem

Marauder 2003

Imagem

Imagem

Marauder 2003

Leitura complementar:

Teste do Marauder 1963: http://homepages.wmich.edu/~dillery/1963%20Marauder%20S55.html

Matéria da Motor Trend sobre o Marauder 1963: http://www.mercurymarauder.org/63_mt_test.html

Teste do Marauder 1964:
http://homepages.wmich.edu/~dillery/1964%20Montclair%20Marauder.html

Teste do Marauder 2003:
http://www.caranddriver.com/reviews/2003-mercury-marauder-road-test
Comparativo entre o Marauder 2003 e o Mercedes-Benz S500:
http://www.stangbangers.com/03_MercuryMarauderVsMercedesS500_Article.htm

Anúncios

Um comentário sobre “Um Mercury para as pistas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s