Um clássico americano com tecnologia moderna

Imagem

Os anos 90 foi uma época difícil para os carros americanos, a qualidade de construção e tecnologia embarcada dos carros japoneses estava atraindo cada vez mais os consumidores, isso obrigou os fabricantes americanos a atualizar os seus carros para continuarem competitivos.

A quarta geração do Mustang veio ao mundo em 1994 com estilo moderno, linhas arredondadas e faróis finos, a plataforma SN-95 era uma evolução da Fox de 1979, 60% dos componentes eram novos. O motor 2,3 do modelo de entrada foi substituído por um V6 3,8 de 147 cv e o V8 do GT continuou sendo o mesmo 5 litros de 218 cv. Foram investidos 700 milhões de dólares no SN-95 com foco no aprimoramento da dirigibilidade e redução de ruídos e vibrações. Freios ABS passaram a vir de série.

Imagem

O SVT Cobra deixou de ser uma edição limitada e passou a ser um feito em série, nele o V8 302 recebeu coletores de admissão e de escape exclusivos, isso elevou a potencia para 243 cv. Externamente o Cobra era identificado pelos pára-choques exclusivos, pelas rodas de 17 polegadas e pelo spoiler com terceira luz de freio. Em 1995 foram feitos 250 Mustang SVT Cobra R, com interior depenado , sem o banco traseiro, rádio, ar condicionado, vidros elétricos e bancos com regulagem elétrica. O motor do Cobra R era o V8 Windsor 351 (5,8 litros) usado nas caminhonetes da marca, com taxa de compressão elevada e comando de válvulas mais agressivo, produzindo 304 cv. O capô era feito de fibra de fibra e tinha uma elevação para acomodar o motor maior, no pára-choque dianteiro os faróis de neblina foram substituídos por dutos para refrigeração dos freios e o tanque de gasolina foi substituído por uma célula de corrida com capacidade para 83 litros. Para poder comprar um SVT Cobra R era preciso ter uma licença de corrida válida.

Imagem

Motor de caminhonete e interior depenado: formula americana de como fazer um carro esportivo

O V8 302 que estava sendo usado no Mustang desde 1968 foi aposentado em 1996, em seu lugar veio o V8 4,6 Modular com comando simples no cabeçote e 2 válvulas por cilindro. A potencia e o torque eram os mesmos 218 cv e 39 kgf·m do 302. No SVT Cobra o 302 deu lugar a um Modular 4,6 com bloco de alumínio, comando duplo, 32 válvulas, 309 cv e 41 kgf·m. Agora o Mustang tinha força para concorrer de igual para igual com o Camaro Z28 e seu LT1 5,7 litros de 288cv.

Imagem

As lanternas traseira também eram novas

O Mustang passou por uma grande reestilização em 1999 para se adequar ao estilo New Edge que a Ford estava adotando em sua linha. O motor V6 recebeu um novo sistema de injeção que elevou a potencia para 193 cv, o V8 recebeu comando mais bravo e coletor de admissão redesenhado, elevando a potencia para 264 cv. Junto dessas atualizações veio uma edição especial para comemorar os 35 anos do pony car.

Imagem

Mas o maior beneficiado com essa reestilização foi o SVT Cobra, o V8 DOHC recebeu coletores de admissão e escape atualizados, elevando a potencia para 324 cv. Além disso o Cobra recebeu suspensão traseira independente, um grande avanço para quem pilotava em track days ou em estradas sinuosas, mas os fãs de arrancadas preferiam o eixo rígido. Essa suspensão independente era intercambiável com o eixo rígido, sendo pesa pelos mesmos parafusos de fixação.

Imagem

O SVT Cobra R retornou em 2000, dessa vez usando o V8 5,4 com bloco de ferro fundido usado em picapes e utilitários. No Cobra R esse motor recebia cabeçotes de alumínio com comando duplo e 4 válvulas por cilindro, virabrequim forjado, bielas Carillo, pistões forjados, coletor de admissão de alumínio, e escapamento Borla com saídas nas laterais. A Ford declarava que a potencia era de 390 cv, mas testes feitos em dinamômetro comprovam ser mais. Esse motor era acoplado ao cambio Tremec T-56 de 6 velocidades que mandava a força para as rodas traseiras através de um diferencial de deslizamento limitado, os freios usavam discos brembo de 13 polegadas e a suspensão recebeu molas e amortecedores Eibach. Externamente o Cobra R era identificado pela cor Performance Red, pára-choque traseiro do Mustang V6, splitter dianteiro, dutos para refrigeração dos freios, faróis com mascara negra, rodas de 18 polegadas, aerofólio e capô com elevação central para acomodar o coletor de admissão. Ele fazia de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos e atingia 274 km/h, levando o pony car ao patamar de esportivos consagrados como o Dodge Viper GTS, Corvette Z06 e Ferrari 360 Modena. 300 unidades do SVT Cobra R foram fabricadas.

Imagem

Em 2001 foi lançado o Mustang Bullitt, uma homenagem ao Mustang GT 390 pilotado por Steve McQueen no filme Bullitt. O Mustang Bullitt era derivado do GT e recebeu amortecedores Tokico, freios do Cobra, escapamento melhorado e coletor de admissão redesenhado, elevando a potencia do para 269 cv. As cores disponíveis eram Highland Green, True Blue e preto solido. Por dentro o Bullitt recebeu instrumentos com grafismo redesenhados e bancos de couro que imitavam a padronagem do Mustang 1968.

Imagem

Não foram vendidos Mustang SVT Cobra nos EUA em 2002, apenas 100 unidades foram fabricadas com o volante no lado direito, todas exportadas para a Austrália. Nesse mesmo ano o Pontiac Firebird e o Chevrolet Camaro pararam de ser fabricados, o Mustang ficou sem concorrentes. Seus competidores mais próximos eram coupés de tração dianteira como o Mitsubishi Eclipse, Toyota Celica, Chevrolet Monte Carlo e Dodge Stratus, mas nenhum deles tinha o mesmo carisma do pony car.

Outra edição especial do Mustang remetendo ao passado foi o Mach 1, lançado em 2003. Ele usava o V8 4,6 32 válvulas de alumínio do SVT Cobra e a suspensão do Bullitt. No capô tinha um shaker hood funcional, um scoop montado no motor, e as rodas imitavam as Magnum 500 usadas no Mach 1 de 1969.

Imagem

Também em 2003 teve o retorno do Mustang SVT Cobra, dessa vez usando motor com bloco de ferro fundido, porém sobrealimentado supercharger Eaton M112, que elevava a potencia do Cobra para 396 cv. Ele igualava os números do SVT Cobra R em aceleração, mas perdia em velocidade máxima. Para 2004, o último ano de fabricação do SN-94, houve apenas a introdução de novas cores e o motor V6 foi aumentado para 3,9 litros. No final de 2004 a quarta geração do Mustang saiu de linha para a introdução da nova geração com plataforma mais moderna e estilo retro.

Imagem

Anúncios

Um comentário sobre “Um clássico americano com tecnologia moderna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s