A queda das peruas no Brasil

11087458_10202774210516894_2143507763_o

De acordo com o Grupo Executivo da Indústria Automobilística (GEIA) o priemiro automóvel nacional foi a perua DKW F-91 Universal. Perua, estate, station wagon, caminhoneta… são diversos os nomes dados para o mesmo tipo de carro com proposta familiar e derivado de algum sedan, coupé ou hatchback, raramente possuem projeto próprio. Aqui vamos chamá-las apenas de peruas.

Primeira F-91 Universal saindo da fábrica da DKW-Vemag

Primeira F-91 Universal saindo da fábrica da DKW-Vemag

Por muito tempo as peruas eram objeto de desejo das famílias brasileiras, haviam opções de todos os tamanhos, da pequena Fiat Panorama à grande Chevrolet Caravan. Empresas e concessionárias convertiam carros sem opção de perua numa, como as Monza Envemo e Maverick Souza Ramos. Na virada do milênio o reinado das peruas foi ameaçado pelas minivans, que eram mais práticas e versáteis, porém menos divertidas de dirigir. Nessa época as peruas nacionais começaram a morrer, em 2002 foi a Quantum e a Corsa Wagon e em 2003 a Escort SW saiu de linha. Houveram poucos lançamento de peruas nessa década, os mais notáveis foram a Toyota Fielder de 2004, a Peugeot 206 SW de 2005 e a Renault Mégane Grand Tour de 2007.

Outro ataque contra as peruas foram os crossovers urbanos, que são erroneamente chamados de SUV. Começou em 2003 com o lançamento do Ford EcoSport e hoje atinge o seu ápice, onde quase todos os fabricantes oferece um. Os crossovers não possuem a estabilidade, segurança e porta-malas grande de uma perua e nem a praticidade de uma minivan, o apelo deles é a altura em relação ao solo e a imagem de ser um carro aventureiro, o que transmite uma sensação de superioridade e segurança ao motorista. Apenas uma sensação, já que na prática um crossover tende a ser menos seguro que o carro de qual é derivado.

A culpa é toda dele

A culpa é toda dele

Atualmente apenas 11 peruas estão a venda no Brazil: as Audi A4 Avant, RS4 Avant A6 Allroad e RS6 Avant, a Fiat Weekend (perdeu o Palio no nome), a Mercedes C180 Touring, a Subaru Outback, as Volkswagens SpaceFox, Golf Variant e Passat Variant e a Volvo V60. As importadas tem vendas muito baixas e geralmente só vem por encomenda, a Fiat Weekend sobrevive como táxi ou disfarçada de aventureira e a SpaceFox sofre com vendas baixas e preço ridiculamente altos. A Golf Variant veio como uma aposta da VW e tem um excelente conjunto mecânico, principalmente agora com o lançamento da versão com cambio manual, só falta os consumidores perceberem que pelo preço de um Fiesta levantado (a.k.a. EcoSport) eles podem levar um carro superior em tecnologia, segurança e espaço interno.

Infelizmente não existem previsões positivas para as peruas no Brasil, as nacionais sobrevivem por aparelhos e as importadas existem mais na imaginação dos entusiastas que nas ruas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s