Revhead Awards 2016

trofeu-awards

Chegou a hora de mais um Revhead Award, onde eu e meu colunista escolhemos os melhores e piores do ano. E 2016 foi um ano onde muitas coisas aconteceram.

Melhor carro com motor dianteiro aspirado, tração traseira e cambio manual

O eleito aqui ganhou e perdeu o cambio manual nesse ano. A Aston Martin fez uma versão manual da caixa automatizada Graziano de 7 marchas usada no V12, com a primeira marcha dogleg, ou seja, ela e as outras marchas ímpares ficam pra baixo e as pares para cima. Essa caixa maravilhosa é oferecida como opcional no mundo todo menos nos EUA, lá apenas 100 unidades do V12 Vantage S receberão três pedais. Mas por que eu escolhi justamente esse carro que está pra sair de linha? Ele é o último esportivo de motor V12 dianteiro com cambio manual, é uma versão aliviada e mais esportiva e visceral do Vantage, a caixa é dogleg e por ser um Aston Martin continua sendo um grand tourer que pode ser usado para viajar. O V12 Vantage S é um carro analógico no mundo digital, carro assim precisam ser celebrados pois estão acabando.

Pipo’s Choice

Sorte nossa que carros não são como humanos. Se fossem ele teria ficado gordo e preguiçoso, afinal, voltou a vir dos EUA (antes era canadense). Mas não! Passou por um bom spa (perdendo 98 kg), entrou na academia (tem 55 cv a mais) e ficou bem bonitão!

Melhor carro ecologicamente correto para entusiastas

Sim, escolhi um hatchzinho elétrico mesmo, o Pipo vai me fazer parecer um babaca com o Fiat 124 Spider dele, mas continue lendo aqui. Até pensei em eleger a Alfa Giulia com motor diesel, mas é errado ter uma Alfa com motor de trator e no Awards anterior descobrimos que o diesel é mentiroso. O Chevrolet Bolt é um carro prático com formato parecido com o do Honda Fit e custa a partir de 30 mil dólares, o mesmo que um Nissan Leaf. Só que enquanto o Leaf tem autonomia de apenas 171 km, o Bolt pode rodar 380 km com apenas uma carga (a Car and Driver disse que conseguiu mais), isso é mais que o suficiente para o uso diário de uma pessoa na cidade. O desempenho do Bolt em linha reta também é bom, seu motor de 202 cv e 36 kgf·m de torque instantâneo, já nas curvas ele sofre um pouco por causa dos pneus ecológicos de baixo atrito e do peso de 1.624 kg. A melhor parte de ter um carro elétrico para o uso diário é que a gasolina que você economiza pode ir toda pro brinquedo de final de semana. E esse brinquedo pode ser um Fiat 124 Spider, sei lá.

Pipo’s Choice

Bom, é um Miata. Não tem como dar errado! Aliás, um Miata com forte sotaque italiano. Um Miata com um corpinho diferente e usando o MultiAir Turbo. Não custa lembrar que a Fiat expôs ele no Salão do Automóvel de São Paulo. Já que não temos o Miata…

Melhor carro do século passado fabricado atualmente

Existem carros que durante a sua vida ganham mais de uma função, como o Volkswagen Santana que começou como um carro médio executivo bem equipado e moderno nos anos 80 e terminou a vida como um confiável táxi ou carro de polícia. O Toyota Crown Comfort é diferente, ele foi criado para ser um táxi e é isso até hoje. O Toyota Crown foi lançado em 1955 para atender a demanda japonesa de táxis, mas a cada geração ele ficava maior e mais luxuoso. Em 1995 a Toyota lançou o Crown Comfort para voltar a essas origens, ele era mais curto e mais alto que o Crown. Por dentro o Crown Comfort é espartano e espaçoso, o painel é de plástico simples e tem opção de banco dianteiro inteiriço com cambio na coluna para poder levar 5 passageiros. Mecanicamente também foi simplificado para diminuir o peso e baratear a manutenção, na traseira usa eixo rígido e freios a tambor, os motores são sempre de 4 cilindros, podendo ser movido a diesel, gasolina ou gás liquefeito de petróleo. Mesmo datado o Crown Comfort é o táxi mais comum do Japão, de Singapura e Hong Kong e se depender de sua confiabilidade vai continuar por muito tempo.

Pipo’s Choice

Analógico. Essa é uma palavra que o define bem. Em produção desde o ano que o Sugarhill Gang mostrou ao mundo o que era o Hip Hop, sofreu poucas alterações estéticas mas inúmeras melhorias no interior e na mecânica. Correm boatos que uma nova geração esteja para chegar em um ou dois anos.

Melhor supercarro híbrido

Nesse ano não houve lançamento de supercarro híbrido e mesmo se tivesse seria ofuscado pelo novo Ford GT. Esse foi um lançamento totalmente inesperado da Ford e ainda mais inesperado foi vir com o motor V6 EcoBoost. Os amish automotivos ficaram revoltados com um Ford GT usando um motor que não fosse um V6 e ainda mais um motor de Taurus, mas o GT anterior vinha com motor de F150 e o histórico GT40 usou motor de Fairlane e de Galaxie. O EcoBoost usado no novo GT não é exatamente o mesmo motor do Taurus do policial na beira da Minnesota State Highway 27, o motor foi todo trabalhado e tem potencia estimada de mais de 600 cv.

Pipo’s Choice

Dono de um design matador e um EcoBoost V6 de 3,5 litros com pouco mais de 600 cavalos (impressionantes  171,4 cv/l). Trará uma primazia curiosa: parabrisa feito com Gorilla Glass (sim, como a tela de um celular). Para quem estava na lista de espera mas não conseguiu garantir o seu, a Ford teve a delicadeza de enviar uma sensível carta lamentando o fato.

ford_gt_21

É o do meio, só pra constar

Melhor carro considerado como o messias do prazer ao dirigir

O novo Porsche 911 ficou maior que a geração anterior. Os fãs reclamaram. Ele ganhou peso também. Os fãs reclamaram. O GT3 passou a vir só com caixa PDK. Os fãs reclamaram. Os Carrera, Carrera S e GTS ganharam turbos. Os fãs reclamaram. A Porsche tinha que calar eles e por isso fez o 911 mais puro possível: o 911 R. O cambio PDK, o banco traseiro, o rádio, o ar condicionado e todo material fonoabsorvente foi mandado pro espaço, o que sobrou foi o motor flat 6 aspirado de 500 cv do GT3, o cambio manual de 6 marchas da geração anterior do GT3 e 1.370 kg de diversão. O 911R é o 991 mais puro que existe, nele o motorista consegue ouvir e sentir tudo que o carro faz, incluindo a bomba de combustível ligando antes da partida, o servo que abre o corpo borboleta quando o acelerador é pressionado e o som da bomba injetora jogando combustível no motor. Esse 911 e o Aston Martin V12 Vantage S que falei anteriormente são os carros analógicos focados na experiência ao dirigir e não nos números que mostram que o entusiasmo e a paixão ainda não morreram nos carros atuais.

Pipo’s Choice

A Porsche riscou os motores de seis cilindros de seus modelos de entrada, trocando os por opções de quatro cilindros turbinadas, resfrescou o visual deles e melhorou seus freios e suspensão. Com tudo isso, o que já era gostoso agora beira a perfeição!

Pior acessório ou opcional

O Fiat 124 Spider não precisa de cambio automático. “Mas vai ajudar nas vendas.” Quem precisa vender é carro popular, isso é um roadster meio italiano e meio Miata. “Mas trocar marchas no trânsito cansa.” Trocar marchas ajuda a construir caráter. E por que diabos você tá dirigindo um 124 Spider num engarrafamento? Vai procurar uma estrada! “Mas tem modo sequencial.” Cale a boqui, você não sabe o que diz. “Mas…” Volta pro seu Corolla e deixe o Spider quieto.

Pipo’s Choice

O Bentley Bentayga tem uma enorme lista de opcionais, mas o que mais chama atenção é o Breitling Mulliner Tourbillon. Um relógio de funcionamento mecânico (à corda), com caixa feita em ouro ou platina, algarismos em diamante e que a cada 15 minutos gira em seu próprio eixo. Preço? 150 mil euros.

Melhor roxo do ano

O Mobi nasceu com vários defeitos: o motor é o Fire antigo, o design é… uh… “exótico”, ele tentou matar o meu amigo Renight, o porta-malas dele é imaginário… Mas ele vem com a cor mais legal do país, o “Roxo Terno do Coringa” que a Fiat chama de Roxo Mirtilo. O dia que a Fiat colocar o Firefly 1,3 nele e dar um acerto fino na suspensão eu vou querer o meu Mobi Roxo Terno do Coringa.

Pipo’s Choice

Não é um mero e vulgar vermelho. Ele é roxo. Bem roxo. Bastante roxo! Se no Cruze é como ver uma enorme ameixa, numa Trailblazer você pensa ter se deparado com uma berinjela gigantesca. E mesmo sabendo que sua tradução é bem boba (frutinhas comestíveis), é legal repetir Édibou Bérris.

Melhor carro de fuga para um assalto a um banco

O Nissan Sentra é um carro médio invisível  que ninguém da atenção e nem se importa. A nova versão SR Turbo é igualmente invisível e de quebra tem motor 1,6 turbo de 190 cv. O resultado é um sedan bem ágil e com um grande porta-malas que cabe todos os dinheiros que foram roubados.

Pipo’s Choice

Tão inconspícuo quanto um Chevrolet prata, logo, se misturar no trânsito fica fácil. Sumir também, afinal, com tração integral e 325 cv, agilidade não vai faltar. Some à isso seu grande porta malas e o espaço mais do que suficiente para quatro adultos e você está há um passo de estrelar sua perseguição de cinema.

Melhor carro pra quem não gosta de carro

O novo topo de linha da Volvo une a tradicional segurança sueca com um design super elegante e o melhor interior dentre os carros de luxo. A cabine forrada com couro claro e com acabamento de madeira sem verniz é um bom lugar de estar. Em movimento o S90 e a V90 são eficientes, o motor 2 litros DRIVe em qualquer de suas versões, tanto à gasolina quanto diesel, tem desempenho adequado, sem acelerações insanas de um BMW V8 ou de um Tesla e quando não exigido consegue ser bastante econômico. Michael Ballaban do Jalopnik disse que o S90 é “o melhor carro do mundo em ser apenas um carro” e para nosso amiguinho que não gosta de carro isso é bom, ele não precisa que seu carro também seja um caminhão do exército ou protótipo de LeMans. E se ele for muito preguiçoso o S90 pode dirigir sozinho por um tempo.

Pipo’s Choice

Não é tão eletrodoméstico quanto um Hyundai, mas o Civic tem sido (ao menos aqui no Brasil) um carro para quem não poderia se importar menos com carro. Na verdade, a maioria de seus donos pertence à classe dos autopiedosos babacas que compram um carro novo para impressionar ou irritar o vizinho.

Carro que saiu de linha em 2016 e vai deixar saudades

A Ford fabricou o primeiro Modelo T na Austrália em 1925, em 1960 começou a fazer o Falcon. Ele começou frágil e parecido com o Falcon americano, com o tempo o Falcon australiano foi ficando mais resistentes e ganhando personalidade própria. O Falcon parou de ser feito nos EUA em 1970 e nesse ano o modelo australiano já era bem diferente e um campeão nas pistas. O mundo foi mudando e o Falcon australiano foi se adaptando, o motor 6 cilindros em linha seguiu junto, nos anos 70 ganhou cabeçote de fluxo cruzado, nos anos 80 ganhou injeção eletrônica, nos anos 90 ganhou comando no cabeçote e em 2002 foi completamente atualizado, tendo comando duplo com variador de fase e até versão turbo. O V8 não acompanhou tanto o Falcon, o motor Cleveland parou de ser oferecido no inicio dos anos 80 e só em 1991 ele voltaria a ter um V8. Em 2016 a Ford da Austrália fez o último Falcon, que além de ser o último Ford feito lá, é o último carro genuinamente australiano. O Holden Commodore também é australiano, mas a geração atual teve muita influencia da GM americana e usa motores corporativos, o Falcon tem plataforma própria, motor 6 cilindros próprio e os V8 atuais são uma variação exclusiva do Coyote com supercharger. Com o Falcon está indo embora um jeito único de fazer carros que dificilmente veremos novamente.

Pipo’s Choice

Ano passado falei dele aqui no Awards. Escolhi como o melhor carro do século passado que ainda se mantinha em produção. Porém, novas exigências para segurança de pedestres em caso de atropelamento selaram seu destino. Na manhã de 29 de Janeiro desse ano o último de sua espécie saiu da fábrica de Solihull, carregando as placas H166 HUE, homenageando Huey (referência à suas placas HUE 166), o primeiro Land Rover Series I, produzido em 1948.

Melhor som

Vrum! Vrum! Em italiano

Pipo’s Choice

Não preciso dizer nada. Apenas ouçam.

Melhor hot hatch

Ele é azul e tem um botão de drift! O novo Focus RS inaugura um novo sistema de tração integral com vetorização de torque que faz as outras trações integrais derivadas de carros com tração dianteira e motor transversal parecerem inúteis. O tal botão de drift faz o carro mandar 90% da força para as rodas traseira (só isso, ele não vira o volante sozinho igual alguns pensam), coisa imaginável para a Haldex de um Golf R, por exemplo. Isso junto dos 354 cv produzidos pelo motor 2,3 turbo faz dele um dos hatches mais rápidos do mundo, tanto em retas quanto em curvas. E sem perder a praticidade de um sensato Ford Focus.

Pipo’s Choice

Antes eu torcia um pouco o nariz para alguns carros dessa marca (principalmente para os da era Bangle). Um dos atuais que mais gosto é justamente a Série 1. E nesse caso, a M140i leva o prêmio. Afinal, estamos falando de 340 cv num pequeno hatch com tração nas rodas certas. Sem mais.

SUV do ano

Todo mundo sabia que isso ia acontecer, a Jaguar finalmente lançou o seu SUV. O que ninguém esperava era que ele seria tão lindo. Pela Land Rover ser irmã da Jaguar já da pra saber que o F-Pace tem pedigree e não vai deixar a desejar como utilitário, mas a parte Jaaaaaaag fala mais alto e esse carro de mãe louca é tão bom de curvas quanto é bonito.

Pipo’s Choice

Graças a Odin que o novo e o antigo Compass não dividem muito além do nome. O atual (um orgulhoso cidadão pernambucano) é mais bonito, melhor acabado, mais estável, tem mais conforto, anda melhor, bebe menos, é mais moderno… Ou seja, deixa o modelo anterior para trás em todos os quesitos.

Picape do ano

Fuck it, 90% das pessoas que vemos por aí dirigindo uma caminhonete não precisa de uma caminhonete, tem por achar bonito fingir ser fazendeiro, ou por gostar de estar mais alto que os outros, ou por achar que motor diesel é mais barato de manter, ou por querer compensar alguma coisa. Poucos são os que enchem a caçamba de verdura, reboca máquinas agrícolas ou acionaram a reduzida. A Toro é perfeita para essas pessoas, não é trambolhuda como uma picape média, leva 5 pessoas com conforto, tem uma caçamba bastante usável e a capacidade de carga é o suficiente. A suspensão independente com molas helicoidais nos dois eixos é bem acertada, não é saltitante quando vazia e garante boa estabilidade em curvas. No off road pesado ela deixa a desejar mesmo, mas também não foi feita pra isso, em trilhas leves a tração integral opcional da versão diesel da conta. A única coisa que estraga esse bom conjunto é o motor 1.8 E.Torq, que é bom para um Punto, não para um aspirante a brodozer de quase duas toneladas.

Pipo’s Choice

Insanidade é sua palavra chave desde que nasceu, em 2008. Para sua segunda geração, largou o V8 em prol de um V6 EcoBoost (52 cv mais potente) e passou beber menos com a ajuda do câmbio automático de 10 marchas. No entanto a loucura permanece: não existe algo mais divertido para encarar dunas do que ela!

Melhor carro super luxuoso para árabes endinheirados

Ele será mais conhecido como um carro super luxuoso para aposentados da Flórida endinheirados, mas daria certo com árabes também. O Aston Martin que o Pipo escolheu é lindo e caro, mas é discreto e elegante, um árabe rico precisa de algo mais ostentativo. O Cadillac CT6 não disfarça que é um carro de luxo e esfrega a grade cromada na cara de quem duvida disso. Por dentro a Cadillac não poupou despesas, tem espaço para reis, som Bose Panaray com zilhões de auto falantes e couro e madeira de verdade.

Pipo’s Choice

Preço? Um milhão de dólares, nos EUA. Com essa grana você poderia comprar um Mulsanne Speed e um S600 Maybach. Mas nenhum deles é um exercício de ostentação em fibra de carbono, alumínio, madeira de lei e couro como o Taraf. E é para (muito) poucos: somente 200 seres privilegiados poderão deixar seus motoristas conduzirem essa joia.

Surpresa positiva do ano

Os carros da Hyundai são eletrodomésticos com rodas feitos pra ir de um lugar a outro e depois serem descartados, a Hyundai finalmente percebeu que isso não é legal e quis resolver isso com o novo Elantra Sport. E os coreanos estão se esforçando, o Sport tem suspensão multilink na traseira (os outros modelos usam eixo de torção), motor 1,6 turbo de 200 cv, cambio manual de 6 marchas e o acerto da suspensão foi feito por Albert Biermann, engenheiro que trabalhou por mais de 30 anos na divisão M da BMW. Será que vou finalmente parar de falar mal da Hyundai?

Pipo’s Choice

Esse ano foi cruel. Levou embora nomes como Aston Martin DB9, Dodge Viper e Land Rover Defender. Mas ele tentou se redimir bem perto do final. No dia 23 de Dezembro o último Agile saiu da linha de montagem em Rosario, na Argentina. Adeus feioso, você nem fará falta.

Surpresa negativa do ano

A Golf Variant com cambio manual era um dos melhores carros a venda aqui, mas a Volkswagen parece que não gosta de vender carros bons e resolveu matar a opção de cambio manual. O mesmo aconteceu na Chevrolet, que lançou o novo Cruze mais leve que o anterior e com motor 1.4 turbo, mas esqueceu que ainda existem pessoas com alma nesse país que gostam de trocar marchas. Meu pai tem um sedan Chevrolet com cambio manual que é uma delícia de dirigir e cambiar, por que o Cruze não pode seguir essa tradição? Os chatos vão dizer que pouca gente compra carro desse preço com cambio manual ou vão dizer alguma coisa sobre engarrafamentos em São Paulo. Seus chatos, não existe isso de carro caro ter que ser apenas automático e nem todo mundo mora em São Paulo, não é porque a sua vida é ruim que o resto do país tem que sofrer. “Trocar marchas é uma forma da auto-expressão que estou sendo negado” Richard Hammond

Pipo’s Choice

Um Falcon XR6 azul foi o último de 4.356.628 carros feitos pela empresa americana em Geelong, Eagle Farm e Broadmeadows durante seus 91 anos de operação naquele país. A justificativa para essa triste decisão foi o alto custo produtivo. Em 2017, Toyota e Holden também seguirão esse caminho por lá.

Lançamento mais importante do Brasil

Mesmo vindo apenas com o cambio errado o novo Chevrolet Cruze foi um lançamento importante. O primeiro Cruze foi um retrocesso em relação ao Vectra e o Astra, ele era mais pesado que um Maverick LDO 4 portas, tinha um motor 1.8 Família I atualizado que parecia bom no papel mas na prática bebia mais que o antigo Família II e andava o mesmo e apesar de ser volumoso por fora era mais apertado por dentro. Resumindo, a GM perdeu a mão no que fazia de melhor que era seus sedans. O novo Cruze consertou todos os pontos negativos do modelo anterior e de brinde veio com o novo motor 1,4 turbo. O único pecado dele foi não ter opção de cambio manual, que é oferecido ali do lado na Argentina.

Pipo’s Choice

O Uno levou um tapinha no visual, mas sua novidade mais importante está sob o capô. Moderninho, o Firefly faz parte de uma família de motores com três ou quatro cilindros, com bloco e cabeçote construídos em alumínio e comando de válvulas variável. Sua estreia mundial foi no Brasil mas promete ganhar o mundo.

Melhor carro de 1987

Mais uma vez o Pipo errou feio, errou rude, o melhor carro de 87 foi um americano turbinado sim, mas não um Buick de vovó e sim um Dodge preparado por Carroll Shelby. O Shelby Lancer era um hatchback que parece sedan de tração dianteira com motor 2,2 turbo de 175 cv e cambio manual de 5 marchas. O desempenho era muito bom para a época e o Shelby Lancer era bom de curvas também, ao contrário do carro de vovó feito pra arrancadas do Pipo. Por dentro o Lancer vinha muito bem equipado e tinha um CD-player Pioneer exclusivo, dois amplificdores, equalizador gráfico e 10 alto falantes. Da pra ficar mais oitentista que isso? O melhor de tudo é que esse é um carro pouco valorizado por ninguém conhecer e os dodgeiros serem seres que vivem presos nos anos 60 e só pensam em v8, com 10 mil dólares da pra achar um a nível de carro de coleção, já o Buick vai custar mais de cinco vezes mais.

Pipo’s Choice

Só podia ser ele! O carro do Darth Vader. O malvado que você respeita antes mesmo de ouvir o ronco do motor. O tiozão de visual sisudo, com cara de poucos amigos. Aquele que mentia sobre sua potência para baixo para não envergonhar (ainda mais) os donos de Corvette. E o melhor de tudo: agora que ele chegou aos trinta anos já dá para importar legalmente! Sweeeeet.

Carro usado do ano

É um dos melhores custo/benefício por menos de 10 mil reais que tem no país, com 5 mil você acha um Tipo 1,6 em bom estado, com ar condicionado sai um pouco mais caro e com motor 2 litros já beira os 10 mil. O 1.6 já atende bem, o carro é leve e esse motor é o Sevel que também foi usado no Uno. Se você realmente quiser ir rápido tem o Tipo Sedicivalvole com o Lampredi 2 litros 16 válvulas de 137 cv, que deixa pra trás qualquer Golf da época e pode ser achado por menos de 15 mil temerecos.

Pipo’s Choice

Confortável, espaçoso, gostoso de dirigir, fácil de manter… Não é exatamente o carro mais frugal com combustível, mas o Família II te recompensa com um belo torque e linearidade de funcionamento. Minha escolha seria um GLS 1994 ou 1995. Bem equipado e ainda fácil de encontrar por um bom preço.

Carro do ano

Desde que a Alfa Romeo parou de fazer carros de tração traseira em 1991 os alfisti queriam ver um carro como a nova Giulia Quadrifoglio. A Alfa voltou com uma voadora de dois pés, não só fez um sedan novo de tração onde o Jesus italiano manda como fez o sedan mais rápido do mundo em Nurburgring. A Giulia Quadrifoglio vem com motor V6 Ferrari biturbo de 510 cv

Pipo’s Choice

A FCA acertou a mão em muitas coisas esse ano, mas essa foi a que mais me impressionou. Numa tacada só fez a Alfa Romeo resgatar um nome importante para sua história e retornar a produção de veículos com tração traseira. Sua missão é ambiciosa, mas ela foi muito bem recebida e bastante elogiada. A cereja do bolo é a versão Quadrifoglio, com 510 cavalos. É essa aí que vai fazer os alemães não pregarem os olhos.

2017 Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio

Aqui o Pipo não errou

Anúncios

Um comentário sobre “Revhead Awards 2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s