Revhead Theater – O rei dos Omegas

O Chevrolet Omega CD Foi o carro mais rápido do Brasil durante o tempo em que foi fabricado aqui, a sua velocidade máxima de 223 km/h só foi superada pelo Fiat Marea Turbo, que atingia 227 km/h. Mas vocês sabiam que o Omega já foi o sedan mais rápido do mundo? Continuar lendo

Revhead Theater – Autobiografia de um Jeep

“A maior contribuição da América à guerra moderna”, foi assim que o general George C. Marshall descreveu o Willys MB, mais conhecido pelo apelido Jeep. O Jeep nasceu da necessidade do exército norte americano de ter um veículo ágil e versátil de patrulha para locomover no campo de batalha, as motocicletas com sidecar que eram usadas anteriormente não obtiveram muito sucesso por transportar apenas dois soldados. O exército exigia que esse veículo de patrulha tivesse tração 4×4 com reduzida, transportasse quatro soldados, tivesse menos de 1 metro de altura com o pára-brisa abaixado, atingisse 90 km/h e carregasse uma metralhadora .30. A Bantam, a Ford e a Willys-Overland apresentaram os seus protótipos para as forças armadas e o escolhido foi o Willys, que tinha o motor mais potente, um 4 cilindros em linha flathead de 2,2 litros chamado de “Go-Devil”, que rendia 60 cv a 4.000 rpm e 14,5 kgf·m a 2.000 rpm. Continuar lendo

Revhead Theater – Faszination on Nurburgring

Pode parecer um Porsche 911, mas não é, o carro do vídeo acima é um Ruf CTR. A Ruf foi fundada em 1939 por Alois Ruf e começou como uma pequena oficina em Pfaffenhausen, Alemanha. Nos anos 60 Alois começa a trabalhar com Porsches após ver um 356 girando fora de controle numa rodovia, em 1974 Alois Ruf morre e o comando da empresa é passado para o seu filho, Alois Ruf Jr. No ano seguinte a Ruf lança o seu primeiro Porsche 911 melhorado e em 1977 a pequena oficina de Pfaffenhausen desenvolve uma transmissão de 5 marchas para o 911 Turbo, coisa que a Porsche só começou a usar em 1989. A Ruf foi certificada pelo governo alemão como um fabricante de automóveis em 1981, a Porsche enviava para Pfaffenhausen carrocerias novas sem numeração de chassi e a Ruf terminava os carros, além de reforçar o monobloco enviado pela Porsche. Continuar lendo